O Sentir é leve!

Foto: enviada pela autora

O sentir é leve e eu descobri isso quando te conheci. Não vou nomear de amor e nem de gostar, pois o sentir é mais gostoso, é mais suave, e, dependendo, mais intenso. O sentir nesse escrito não tem um significado, não tem relação com amor ou qualquer sentimento do tipo. Prefiro não rotular o sentir para não nos limitarmos, entende? É melhor sentir assim, solto, livre! Sentir até transbordar!

O sentir é mais gostoso porque vem de repente. Ele chega num toque, num abraço, por um entrelaçar de dedos, através de um sorriso ou até mesmo numa troca de olhares. Ele chega sem pedir licença ou autorização. Chega como quem não quer nada e acaba sendo tudo. Nos rouba noites de sono, segunda vira sexta e até a tristeza pula de alegria.

Ele chega e faz morada. E, ao invés de bagunçar nossa casa como outros “sentir” fizeram, ele arruma. Arruma a mobília, troca as chaves das portas e janelas, coloca um vasinho de flores na mesa e faz morada. Ele é leve, é puro!

Nos faz rir até doer a barriga e sorrir até doer as bochechas. Nos faz flutuar quando ainda estamos com os pés no chão, nos faz pensar que o mundo não é tão ruim assim e que sempre há um recomeço. Ele também é capaz de nos fazer chorar de alegria, chorar por sentir demais, chorar por sentir um turbilhão de coisas boas ao mesmo tempo e não saber explicar ao certo.

O sentir nos modifica. Nos transforma no melhor que podemos ser, nos faz ser a melhor versão de nós mesmos. O sentir não é pesado, não dói os ombros e nem a cabeça. Nos faz rir com frequência e não chorar todas as noites.

O sentir não nos completa, nos transborda!

Confesso que no início dá aquele friozinho na barriga, aquele receio de sentir e não ser sentido, entende? Mas vai por mim, se permita sentir novamente. Há sempre um recomeço para tudo. A vida sempre nos dá uma nova oportunidade, o que fazemos de bom para os outros sempre retorna para nós em dobro ou em triplo. Por mais que muitas das vezes pensamos que não, tudo de bom que fizemos retorna para nós em algum momento. Quando menos esperamos.

E tudo isso eu descobri quando te conheci…

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *