Você escolheu por mim

Texto da Caroline Lima, autora do Blog Contextos

Estou sentada na minha cama com meu fone no ouvido. A música que está tocando chama-se “Tempo” e é cantada pela Sandy. Desculpe meu gosto peculiar, mas essa música toca minha alma.

Acredito ser um bom momento para ouvi-la. Se puder, ouça enquanto me lê. Preciso colocar para fora tudo aquilo que tem tentado me sufocar. Contudo, sei que vai passar. Sempre passa. Deixe-me te situar em minha narrativa. Há alguns anos conheci uma pessoa que achei que seria o amor da minha vida. Cá entre nós, quem nunca teve uma história de um amor de infância e vive na expectativa de que ele dê certo quando forem adultos?

Infelizmente, esse não foi o meu caso. Acredito que de muitas. Todavia, no fundo, eu acreditei nele. O calor dos abraços que me dava. O beijo apaixonado. Os olhos brilhando ao me ver chegar. Eu acreditei. Sim, acreditei. Se tem um pecado que cometi foi o de ter acreditado. Ter me entregado de corpo e alma.

Ele sempre se declarou para mim e quando o universo começou a mostrar indícios de que estava a favor do nosso encontro, ele resolveu abrir mão. Ele tentou me fazer acreditar que estava confuso.

Não sabia bem o que queria. Até que eu descobri que ele me traía. Doeu. Chorei. Fiquei me sentindo a pior mulher da espécie humana. Nesse momento, eu mesma me dei as “boas-vindas” ao mundo das desilusões.

Durante dias, perguntei a mim mesma qual teria sido o meu erro, o meu defeito… Tenho essa mania de conversar comigo mesma e tentar responder as minhas perguntas. Respirei fundo. A cada lembrança vivida, a cada plano projetado, cada “É você que eu quero”, ecoava na minha mente e me fazia perder a paz. Eu já estava quase me perdendo de mim. Aliás, eu me perdi de mim. Cheguei a ponto de dizer que perdoaria ele, que passaria por cima de tudo se ele quisesse construir do zero uma vida ao meu lado. Ele preferiu não se posicionar.

Quanto a mim? Bem, nunca vou me culpar por ser intensa. Por ter insistido em alguém que pensei que valesse à pena. E valeu, até um certo ponto. Hoje, quando olho para trás, percebo o quão forte me tornei e continuo me tornando. Algumas quedas e perdas me fizeram enxergar os ganhos que a vida de trouxe e os livramentos que Deus me deu. Quanto a ele? Bem, ele está sendo, ou tentando, ser feliz ao lado daquela que ele escolheu. Contudo, acredito no amor. Acredito que o universo conspira a meu favor por eu ter sido fiel a ele e a mim. Por eu ter sido justa com minha insistência, por querer dar uma chance a mim mesma, a nós dois. Todavia, não foi possível.

Mas, o amor? Sei que ele existe. Um dia, sei que vamos nos encontrar. Juntei os pedacinhos do meu coração. Reconstruí cada pedacinho meu dia após dia. Quando o amor chegar, estarei pronta. Pronta para amar e, principalmente, ser amada.

 

Gostou do texto? Então deixe seu comentário aqui! 🙂

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *